2017 - B. Saphy, by Divana Barbosa

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Tu importas

agosto 14, 2017
Tu importas

Depois de um tempinho, deixa eu te dizer uma coisa. O outro, que você nem conhece, importa.

Isso pode parecer totalmente fora de contexto num primeiro momento. Vou te explicar um pouco porque eu quis dizer isso. Quero te mostrar que o outro importa e o meu outro pode ser você.

A princípio se perguntaria porque você é importante pra mim a esse ponto. A minha primeira resposta é porque você é um ser humano como eu, o que já explica como eu acho importante eu ser importante, e você também.

A minha segunda resposta, que às vezes acho que devia ser a primeira na verdade, é pra dizer que eu me importo com você da mesma maneira que quero que as pessoas se importem comigo. Tem um versículo assim que vou deixar no final do texto pra você ler.

Estamos sendo despertados nesses dias para cuidar mais das outras pessoas e deixar o nosso egoísmo, o olhar para o nosso umbigo, para ajudar o outro mais que nunca.

Isso já devia ser feito a muito, muito tempo. Só que parece que agora a coisa ficou pior. Sabe a vida dentro do celular, da internet? Então... Mais comum e mais infelicidades. Eu quero viver mais offline que online. Quero que meu tempo junto das pessoas que amo sejam bem aproveitados.

Ame mais as pessoas que estão ao seu lado.
Ame o seu próximo como a si mesmo.
Marcos 12:31a
Imagem: Sarah Vilardo | Unsplash

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Journal #007 - Influenciadores Influenciarão

agosto 10, 2017
Journal #007 - Influenciadores Influenciarão

A minha semana tem sido intensa, principalmente por causa dos diversos temas que estão sendo tratados na faculdade sobre o curso de Engenharia Biomédica (que me inspira a criar algo aqui, hehehe) e sobre o quanto Deus está me usando para tratar de assuntos que antes eu não ligava tanto - porque não tinha tanto a ver com a minha realidade. Eu só achava isso.

Há alguns meses li um texto da revista Ultimato que fala sobre as Redes Sociais vs O Reino. Esse texto fala basicamente da influência das pessoas na nossa vida, em qualquer lugar que eu esteja e que você esteja, e em como tudo isso nos influencia a fazer algo bom ou não, condizente ou não, das nossas mudanças e do nosso pensamento.

Muitas coisas parecem até loucura, só que estamos numa época de Influencers. Por mais que não perceba e que ache natural, temos pessoas que se tornam exemplo pra nós, seja de vida mesmo ou de estilo. Quero me vestir assim, quero meu cabelo assim, quero esse sapato... Muito do que se vê. Mas esquecemos do nosso interior, e trocamos de identidade como num piscar de olhos para nos encaixarmos em um grupo x. Isso não é bom.

Acaba que chega um momento que você não sabe quem é porque se deixou influenciar e viu que aquele mundo não era o ideal pra você. E como voltar?

Muitas vezes a gente não volta.

Vamos ser mais realistas. Você é quem é e isso é importante. Você é uma pessoa única nesse universozão.

Carecemos de pensantes e influenciadores que conheçam e amem a juventude, a ponto de demonstrar esse amor também nas redes.
Ultimato

Love you! Fica com Deus.
Um beijo e um queijo!
Imagem: rawpixel.com | Unsplash

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Eu também!

agosto 09, 2017
Eu também!

#SQN

Se a gente já começa com uma hashtag discordando, dá pra imaginar um pouco o que vem pela frente, não é mesmo?!

Estou percebendo também que estou fazendo desse espaço e desse BEDA uma espécie de diário virtual, onde gosto de compartilhar informações do meu dia a dia. Essa história acabou de acontecer, no caso no dia anterior, e eu fiquei tremendamente assustada.

E estou muito assustada o quanto Deus tem usado o bendito do livro que estou lendo pra me mostrar tantas coisas. Usa mais Aba!!!

Seguinte: estava eu na faculdade, mostrando o livro para uma amiga. Já compartilho da minha fé com ela e tudo o mais. É bem tranquilo. Ela vai nos estudos comigo, inclusive. É uma das melhores horas do dia.

Outra pessoa se assentou do meu lado, ficou curiosa e eu, claro, mostrei. Disse que eu sou cristã e que o livro falava sobre Deus. Então a pessoa virou e me disse: eu também. Acho que eu não me controlei na hora e observei bem fundo o semblante ao meu lado e passei o livro para ser lido, pelo menos a sinopse.

Depois desse momento me vi refletindo e estou assim até o momento que te escrevo esse texto. Minha gente, que baque duro foi esse!

Não foi um baque qualquer. É um baque longe do preconceito e de julgamento. É um choque de realidade para me mostrar o que eu ando fazendo da minha vida e em como o Evangelho está desconstruído no meio de uma sociedade que só pensa em tecnologia, em deixar tudo mais acessível e em ter ter ter TER.

Hoje eu não penso no TER, penso mais no SER. E o SER que eu quero é ser uma filha completa, somente uma filha para compartilhar do amor do Aba para todas as pessoas à minha volta, sem vergonha, rancor, raiva, debate, só de maneira saudável e natural.

O "Eu também" da outra pessoa me deixou num estado catatônico, como se eu tivesse tomado um banho de água fria em pleno inverno, um pouco mais frio do que está agora. Eu não quero um ser assim. Meu corpo, minha alma, meu espírito, minha mente, meu CORAÇÃO, quero que pertençam apenas a Deus e a Ele somente.

Quero chegar para as pessoas e dizer um "Eu também" com muita segurança daquilo que eu estou afirmando, me espelhando. Por mais que o dele não possa ser tão verdade, eu quero que o meu seja.

Minha oração é para que sejamos discípulos, e possamos compartilhar e aprender juntos o verdadeiro evangelho, a verdadeira mensagem.


terça-feira, 8 de agosto de 2017

Ansiedade

agosto 08, 2017
Ansiedade

Uma das coisas que as pessoas mais conversam comigo é sobre a ansiedade. Pode até parecer estranho, já que estou me formando para ser engenheira e não psicóloga, que eu também falo bastante, que eu tenha sofrido um pouco com isso.

Me acostumei a dizer que a ansiedade é o mal do século e que nós precisamos tomar muito cuidado com ela, principalmente quando começa a afetar a vida das pessoas que vivem ao nosso lado. Ela não é uma brincadeira.

Pois bem.

Como você sabe, se leu o post anterior, estou lendo um livro chamado Louco Amor e já cheguei no terceiro capítulo. Enquanto lia, meu coração foi incomodado de uma forma louca, intensa, uma loucura. O autor do livro já previa muita coisa, principalmente uma Metanoia gigante.

Ele diz muito sobre se andar ansioso, preocupado, com uma carga enorme que é bem difícil de ser carregada. E mostra como devemos confiar Naquele que nos criou para tornar todas essas coisas mais fáceis. E, minha gente, eu só melhorei um tanto depois que resolvi deixar todas as minhas preocupações nas mãos de Deus e que elas iam se resolver com o tempo, não na hora. Que o que fosse que fosse para acontecer aconteceria e eu não teria tanto controle sobre x eventos assim.

Precisamos desconstruir a ideia de sermos invencíveis, que podemos tudo, só basta querer. Aquilo que queremos, e que será bom, nos será dado no devido tempo. Assim como o resultado de diversos anos de trabalho, da solução de problemas e de diversas outras coisas que teremos na nossa vida.

Nada é tão por acaso assim, hahaha.
Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!
Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o Senhor.
Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus.
Filipenses 4: 4-7
Um beijo e um queijo!
Fique com Deus!
Imagem: Hanna Morris | Unsplash

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Louco Amor!

agosto 07, 2017
Louco Amor!

Hoje iniciamos oficialmente o BEDA depois de alguns dias de atraso. Estava "finalizando" alguns assuntos da faculdade e da empresa. Eram tantas coisas que estava a beira de um ataque nervoso. Ainda bem que gosto de sorrir à toa e pensar sempre que vai ficar tudo bem.

Nesse momento em específico venho indicar um livro que estou lendo e amando. Peguei ontem emprestado com um amigo e esse livro está me levando a ter muitas reflexões que com certeza vão mudar um pouco a minha forma de pensar sobre diversos assuntos. Incluindo alguns tabus que tenho para mim.

O título do livro é Louco Amor, do Francis Chan. Esse livro vendeu mais de 2,2 milhões de cópias! Já consigo dizer, por ser um tanto bibliófila, que vou tentar comprar um para deixar na estante e lê-lo com mais calma depois.

Para te explicar mais um pouco sobre ele, vou deixar a sinopse aqui, pra quem se interessar. E a capa dele, é claro. E tem mais um detalhe: muitos dos textos que virão serão sobre esse livro. Vou buscar fazer o máximo de anotações possíveis para que você conheça mais a obra.

    
Pode acontecer em qualquer relacionamento.
A intensidade e a vibração dos primeiros momentos aos poucos são tomadas pela rotina, e o que antes era uma feliz dependência torna-se um fardo, quando não, a cínica indiferença para com o outro.
Infelizmente, o mesmo ocorre em nosso relacionamento com Deus. Acabamos nos acostumando a viver longe dele... só demoramos a nos dar conta disso.
Nossa suposta autossuficiência torna difícil encaixar Deus num mundo cujas principais respostas já foram dadas. Se essa é a conclusão a que chegamos, vale a pena ler e ouvir alguém que não se conforma com desculpas fatalistas. Francis Chan dedica sua vida a ser um tipo diferente de cupido. Tendo experimentado com grande intensidade o amor de Deus, empanha-se em contagiar outras pessoas a (re)viverem a mesma paixão.
Segundo Chan, apenas experimentando e nutrindo um honesto relacionamento em nossa vida com Deus podemos dar a necessária chacoalhada em nossa vida e espantar a terrível mornidão que caracteriza nossa atitude diante do Pai.
Um beijo e um queijo!
Imagem: Allef Vinicius | Unsplash

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

É mês de BEDA!

agosto 03, 2017
É mês de BEDA!

Já ouviu falar de BEDA, certo?

Então.

Acho essa data um ótimo mês pra colocar todo o conteúdo do blog em dia, mesmo se você começar com atraso, que com certeza vai ser o meu caso.

Essa postagem é só um aviso de que vai vir muito conteúdo nas próximas semanas.

Só nas próximas? Sim. É por um motivo muito nobre e que carece da minha atenção no momento. Sei que fiquei um tanto parada, mas existem ideias indo e vindo, estou moderando muitas coisas ainda e quero que elas deem certo... A chave pra ficar tudo bem é a paciência, hahaha.

Então, vamos ao BEDA com uma semaninha de atraso? Juro que vocês não irão se arrepender. =)

Até os próximos dias então, e que seja um sucesso pra todos nós!
Um beijo e um queijo, <3
Imagem: David Pentek | Unsplash

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Journal #006 - Vai e vem, mas fica

julho 17, 2017
Journal #006 - Vai e vem, mas fica


Um diário de Welcome back? Talvez seja sim, hahaha.

Sumi por um tempaço, e isso é um fato. Não só na minha vida como pessoa, mas no blog também. Sim, estive em crise por um tempo, tentando lidar com diversos sentimentos, e não é fácil, como você pode perceber até mesmo com a sua vida.

Mas sabe de uma coisa? Quando a gente sabe que não estamos nem um pouco sozinhos, isso não faz tanta diferença, porque a dor vai diminuindo e tudo fica ‘bem depois’.

Fica bem daquele jeito que a gente sempre sabe né. Porque o ser humano é um ser bem complicado, vamos combinar.

Certo. Para uma primeira volta pra cá com novidades, vamos a uma listinha do que andei fazendo nesse tempo que estive um pouco sumida da internet e das minhas redes sociais favoritas (oii Twitter e Instagram).

1. Não estive tão sumida assim. Andei publicando no Medium durante esse tempo. Foram duas ou três postagens, quase que uma por mês (pouco, eu sei, mas deixei uma marquinha mesmo assim, hahaha). Se quiser conferir, é só clicar aqui. Você vai pro meu perfil e vai conseguir ver o que andei fazendo, ler um pouquinho e, se se interessar, se inscrever, começar a escrever ou até mesmo só comentar os textos interessantes que encontrar (e não são poucos, vou te avisando desde já).

2. A faculdade está na reta final. Não final assim, mas nesse presente momento faltam 1 ano e meio pra minha graduação. E é muito pouco tempo perto dos 3 anos e meio já concluídos! E isso assusta, minha gente. Passei direto (como sempre e amém). Consegui fazer a minha matrícula tranquilamente, tenho outros trabalhos pra fazer e algumas ideias pra concluir (espero que tenha conteúdo novo em breve aqui).

3. Muitas reflexões, muitas! Exatamente isso. Todo mundo passa por pequenas crises e eu tive as minhas. A maioria relacionada à distância por, como alguns sabem, não moro com meus pais e nem um pouco perto (são uns 450 km de boa caminhada e custo muito alto ~lê-se triste~). E não vai passar enquanto eu não vê-los. Então, já que tem viagem.

4. Amigos. Felizmente tenho conseguido passar mais tempo perto das pessoas que me importam e que acredito que se importam comigo também. Fico muito feliz por isso. O detalhe é que a maioria posta as fotos dos momentos de felicidade na internet para mostrarem como se sentem. Eu até cogitei, confesso. Mas, sabe, minha mentalidade tem mudado com relação a isso e hoje, quaaando me lembro, aí sim tiro uma foto pra recordação. Mas não virou uma regra. A minha regra é me divertir o máximo que posso com pessoas especiais e o que fica na minha memória é o mais importante.

5. A Fé. Meu Deus é maravilhoso. O tanto que tenho estudado me faz crer ainda mais Nele. E nos seus objetivos também. Claro. =)

Ficou grande, talvez. Mas, mesmo assim, espero que continuemos nessa caminhada.

P.S. Estou terminando as configurações no blog ainda. Então as mudanças vão aparecer aos poucos, mas sempre pra facilitar encontrar conteúdo por aqui (e as cores vão ajudar muito).


Um beijo e um queijo e até a próxima. Tchau!
Imagem: Seth Doyle | Unsplash

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Changes

maio 10, 2017
Changes

Peraí Divana? Depois de milhões de dias sem postar, lá vem mais um com esse temática: Changes???

Pois é. E é exatamente isso que quero falar pra você hoje. Então segura só um pouquinho, acredito que não vai demorar muito, hahaha.

Tem muito tempo que não escrevo por aqui… Saiu um texto meu no TRENDR nesse meio tempo e tem mais um programado lá pra sair esse mês (e, aliás, é uma ótima revista/publicação online <3 ).

Daí lá vem eu, Divana, com um texto com o título Changes (mudanças) depois de um loongo tempo sem postar nada. Parece até um desperdício, não é? Só que eu te digo que não é. Só quero incluir algumas (muitas) coisas aqui.

Vamos às principais mudanças?

1. O blog vai mudar de nome: ele vai ficar mais pessoal, então nada melhor que ser um currículo online da minha pessoa com minha assinatura. Sim, ele vai servir para…

2. Propósitos profissionais: galera, eu curso Engenharia Biomédica e, por ser um curso um tanto novo no país, tem tanta coisa legal que pode ser compartilhada;

3. O layout vai ficar diferente: estou de olho num tema muito legal pra mudar a identidade do blog, só espero que dê certo logo.

4. Personalidade: está aí uma das mais significativas, porque quero escrever mais com o coração. Um dia quero voltar e ler o blog do início e não ficar cansada só de olhar. Preciso escrever mais sobre o meu lado humano. Faz bem. O que me fez pensar sobre esse tema? Um texto muito legal que encontrei no Medium: The day I started writing for myself.

Para um futuro próximo, estou pensando em postar algumas coisas mais científicas em formato de vídeo (tenho um script quase pronto de um livro que li e, pelo livro ser interessante, tive que pesquisar um pouco mais sobre o que faz a protagonista ser o que é). Estamos na era do Youtube, sabemos disso, e tem tanto vídeo que parece que a gente tem muita informação. Quero deixar essa onda passar um pouco, porque até eu mesma me sinto um pouco sufocada.

Ok. E quando essas mudanças vão aparecer? Em breve. Vai ter uma postagem falando de tudo com um pouco mais de detalhes. Mas enquanto não chega esse dia, vamos continuar com a vida e com as postagens um pouco mais diferentes =).

Um beijo e um queijo! Tchau!
Imagem: Copyright: Unsplash | Jason Brisoe

terça-feira, 14 de março de 2017

Feliz dia da mulher!

março 14, 2017
Feliz dia da mulher!

Sei que está um pouco tarde pra mandar esse texto ao ar, mas não tem problema não. Isso porque quero te dizer que todos os dias é o dia da mulher, assim como dos homens, das crianças, da árvore, da água, do folclore.

Não é muito justo separarmos só um dia do ano inteirinho pra fazer algo que valha a pena para todas as coisas que precisamos preservar, amar, cuidar, educar... Temos que cuidar de tudo todos os dias das nossas vidas (e não num ano 'x' especial).

Mas... Como foi 'comemorado' recentemente o dia da Mulher, quero deixar pra você toda uma parte da Bíblia que fala exclusivamente desse ser criado por Deus e que é bem complicado de lidar <3. Amamos sermos complexas, meninos!

Como muitos dizem, a Bíblia é machista. Só que NÃO é. E se você continuar com a sua opinião, é muito legal saber o motivo depois que ler esse trecho aqui. Por favor, diga.

Ah, e não vale usar o contexto sem saber da história, cultura e costumes do povo minha gente, porque até mesmo a linguagem é diferente! Essas coisas a gente discute na aula de história, assim como discutimos a 2ª Guerra Mundial, a Idade Média, o Romantismo (que os homens morriam pelas mulheres e vice-versa), o Iluminismo e assim vamos nós!
Uma esposa exemplar; feliz quem a encontrar! É muito mais valiosa que os rubis.
Seu marido tem plena confiança nela e nunca lhe falta coisa alguma. Ela só lhe faz o bem, e nunca o mal, todos os dias da sua vida.
Escolhe a lã e o linho e com prazer trabalha com as mãos. Como os navios mercantes, ela traz de longe as suas provisões.
Antes de clarear o dia ela se levanta, prepara comida para todos os da casa e dá tarefa às suas servas.
Ela avalia um campo e o compra; com o que ganha planta uma vinha.
Entrega-se com vontade ao seu trabalho; seus braços são fortes e vigorosos.
Administra bem o seu comércio lucrativo, e a sua lâmpada fica acesa durante a noite.
Nas mãos segura o fuso e com os dedos pega a roca.
Acolhe os necessitados e estende as mãos aos pobres.
Não teme por seus familiares quando chega a neve, pois todos eles vestem agasalhos.
Faz cobertas para a sua cama; veste-se de linho fino e de púrpura.
Seu marido é respeitado na porta da cidade, onde toma assento entre as autoridades da sua terra.
Ela faz vestes de linho e as vende, e fornece cintos aos comerciantes.
Reveste-se de força e dignidade; sorri diante do futuro.
Fala com sabedoria e ensina com amor.
Cuida dos negócios de sua casa e não dá lugar à preguiça.
Seus filhos se levantam e a elogiam; seu marido também a elogia, dizendo: "Muitas mulheres são exemplares, mas você a todas supera".
A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme o Senhor será elogiada.
Que ela receba a recompensa merecida, e as suas obras sejam elogiadas à porta da cidade.
Provérbios 31: 10-31 | Proverbs 31: 10-31
Espero, de verdade, que tenham gostado. E até mesmo ajudado a entender que a gente precisa interpretar muito bem as coisas que lemos. Dar a opinião sem ler, estudar, pesquisar é muito perigoso. Ah, e respeitar os coleguinhas também é muito importante.

Um beijo e um queijo e fiquem com Deus!
Imagem: Unsplash | Averie Woodard

terça-feira, 7 de março de 2017

Journal #005 - Enquanto está o mesmo

março 07, 2017
Journal #005 - Enquanto está o mesmo

Enquanto não mudo o formato do Journal ~estou pensando seriamente nisso~, vamos continuar escrevendo, nem que seja um pouquinho.

Tenho pensado muito no meu comportamento. Tanto relacionado com as pessoas quanto a comigo mesma e concluí que, por mais difícil que seja, preciso permanecer sendo eu mesma em qualquer situação. Digo que é difícil porque as pessoas podem não te aceitar, ou até mesmo ser não tão procurada pra conversar porque surgiu alguém com um temperamento mais condizente com as pessoas que o seu.

Aff, isso é um saco, de verdade.

Mas então surge aquela vozinha que diz que você é importante para Deus do jeitinho que Ele te fez. Não existem pessoas para serem colocadas no seu lugar porque você é única. E que eu sou mais que substituível, não sou ninguém, nem poeira. Sou como um grão de areia na praia. Então, por que me
preocupar com besteiras?

Está vendo como a mente da gente passa por situações que não fazem nenhum sentido? E você acaba se sentindo incomodada por nada, na verdade.

Um outro tema que quero escrever bem rapidinho aqui é sobre um comentário que uma integrante do #BlogueirosGeeks <3 fez que me deu uma luzinha no pensamento e me fez pensar. Será que os blogues estão morrendo mesmo? Eu estou pensando nisso, ainda mais com a leva de pessoas indo para o youtube gravar vídeos (e que acaba ficando saturado também).

Um beijo e um queijo! (Com goiabada).
Tchau, fique com Deus!
Imagem: Unsplash | Prasanna Kumar

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Um novo jeito de pensar

fevereiro 15, 2017
Um novo jeito de pensar

Estive pensando, por esses dias, qual é o meu objetivo por aqui. E não é porque estou insatisfeita com o blog. De maneira nenhuma! Estou muito feliz com os resultados que tenho alcançado e pelas pessoas que tenho conhecido também!

Não sei se percebeu, mas tem uma leva de textos aqui, todos um tanto recentes de acordo com a minha frequência de postagens, que dizem muito sobre escrever o que gosta, o que te inspira e como se as pessoas não te conhecessem para ser o mais verdadeiro possível. E é isso que eu tenho tentado passar: eu.

Eu tenho meus 20 e poucos anos, com muitas fases de alegria, energia, desespero e solidão, como qualquer outra pessoa. E tenho procurado passar para quem lê o que estou sentindo no momento. Quero tornar a mensagem mais verdadeira.

Conheço pessoas que transbordam sentimentos nos seus textos. E não porque as vi pessoalmente. Não, eu as vi pelo que escrevem, e me fazem pensar todos os dias sobre conseguir passar um pouco de mim por aquilo que eu faço no dia a dia.

Às vezes você pode pensar como é perigoso se tornar tão transparente hoje, mostrando o que sente e o que emociona. Em como as pessoas podem se aproveitar disso e não deixarem as oportunidades virem até você, pegando-as para si.

Eu não me importo tanto com isso. Acredito que nesse mundão cada dia mais superficial, é de um pouco de generosidade, honestidade, de transparência que as pessoas precisam. E não é viver nas redes sociais mostrando a sua opinião sobre as coisas (até porque de tanto que se tem ninguém está ligando mais)! É de mostrar aqui, nessa página de um blog pequeno na internet, o que te faz feliz e compartilhar da sua alegria para que todos, um dia, leiam e, talvez, se identifiquem.

Então, o estrago estará feito e um monte de pontinhos de luz podem surgir em uma rua qualquer, trazendo mais esperança, amor e transparência para o que realmente importa.

Mil beijos, corações, e queijos também.  



"Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens."Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte.
E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa.
Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus".
Mateus 5:13-16 | Matthew 5:13-16

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Marina, Carlos Ruiz Zafón

fevereiro 09, 2017
Marina, Carlos Ruiz Zafón

Oscar é um menino que mora em um internato. Não por ser órfão, mas porque seus pais vivem viajando e não conseguem dar a devida atenção a ele.

Apesar de viver nesse lugar, ele somente tinha as obrigações da escola e podia sair e andar pela cidade, que é Barcelona. Por ser bem curioso, entrava em casarões abandonados e ruas vazias. E foi assim que conheceu Marina, a menina que mudou de forma dramática a maneira que ele via o mundo.

Assim que ele e Marina se tornam amigos, eles vão a um cemitério esperando uma dama misteriosa de preto chegar em sua carruagem. Ela visita um túmulo que possui uma borboleta negra como identificação. Resolvem segui-la e param em um lugar escondido por um jardim que a muito não é cuidado. Pelo jeito ninguém morava lá.

Eles entram e encontram um lugar completamente diferente. Existem partes humanas O-O, bonecos em tamanho real, pendurados em todo o lugar e, além disso, um álbum bem estranho, com pessoas nascidas com má-formação. Depois disso, tudo vira uma aventura de terror.

É realmente de terror, gente. Esses bonecos são mais sinistros depois que se sabe a história toda.

Quando você lê os primeiros três capítulos, mais ou menos, você não imagina o que está para vir e começa a xingar os dois pra sair de onde entram rapidinho, porque você sabe que não vai acabar bem. E quase nada acaba bem mesmo! É terrível. Deu uma agonia enquanto lia, uma aflição por estar se colocando ao lado das crianças...

Li de uma tacada só esse livro. Lembro que fui dormir por volta das 2, 3 horas da manhã, sendo que iniciava a leitura 20h, 21h.

Alerta de spoiler bem fraco no próximo parágrafo. Pode pular para o último.

Antes de finalizar isso aqui, quero dizer que esse livro me lembrou muito um filme de bonecos assassinos que vi uma vez quando era criança. Aqueles bonecos de madeira com várias cordas pendentes pra você mexer, dar os movimentos, inclusive a boca. Apavorei nesse livro. Os pesadelos da infância até voltaram um pouco.

Pois é, cheguei a sonhar com esse livro. E não é por menos que eu amo a escrita do Zafón. No início você não dá nada, mas depois você está subindo no sofá de pavor.

Beijooos!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Crie como se ninguém te conhecesse

fevereiro 01, 2017
Crie como se ninguém te conhecesse

Às vezes, eu desejo que tivesse começado a bloggar anonimamente. Assim, eu não teria que me preocupar em desapontar nenhum dos meus amigos ou ofender minha madrasta com minhas palavras. Talvez eu não me preocuparia com o que minha filha pensará de mim daqui a 10 anos quando ela começar a ler as coisas do papai online. Então, talvez, eu não me preocuparia sobre os grandes saltos que faço no que escrevo, como se importasse...

Mas agora, existe um tanto de mim que está no início e no fim desse post e que mostra – este sou eu. Grande como é, é também um pedaço da minha inibição, não?

Se você lê muito meus textos, você se sente como se me conhecesse. E, como se conhecesse todos, você não quer de verdade ser um tanto diferente amanhã do que sou hoje, se eu te influenciar a esse ponto. Porque isso seria desconfortável. Eu posso mudar o panorama em você e coisas começam a ser assustadoras quando isso acontece.

Se você esteve escrevendo online por um tempo, você provavelmente se sentiu com esse sentimento de constrição criativa. Talvez pessoas tem te visto como o galã que escreve sobre design de interior – você é o design interior – mas, por qualquer razão, você que começar a escrever imbecilidades (Divana: não se ofenda, please).

É uma mudança difícil. Talvez arruíne a sua reputação que tem meticulosamente construído com sua audiência. Talvez eles te odeiem por isso. Talvez eles deixem de te seguir, subscrevam-se da sua lista de e-mail, parem de te contratar, e te deixem faminto na rua.

Ou, talvez você possa fazer isso. Talvez você deva ignorar essa linha debaixo do seu post e ir na direção da criatividade que têm ignorado. Talvez seus leitores vão gostar disso. Talvez eles estão ficando entediados de tanto ler sobre design de interiores... De novo.
Talvez você deva criar como se ninguém te conhecesse.
Sei que parece um tanto seguro esperar por alguém para te dar o “vá em frente” e fazer a mudança, mas talvez você deva apenas seguir seu pressentimento e ser independente.


É segura, essa mudança? Não. Mas quais escolhas assim funcionam?

~~~~~~~*~~~~~~~

Créditos: © 2017 Higher ThoughtsOriginal: Create like no one knows your name by Jonas Ellison - Publicado em 16 de Março de 2016. Tradução: Divana Barbosa © 2017 Anavid. Todos os direitos reservados.
Você pode reproduzir este material em qualquer formato desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.


~~~~~~~*~~~~~~~

Oi gente linda!!! Eu gostei muito desse texto e ele me fez pensar nas outras coisas que eu gosto também e que eu ainda não coloquei aqui... Então, pensei, por que não?

Eu sou assim, do jeitinho que veem nos textos mesmo, mas também gosto de outras coisas que podem parecer que não combinam entre si, mas faz parte de mim de uma maneira, bem, muito legal, hahaha.

Abraços e fiquem com Deus! <3
Imagem: Unsplash | Olliss

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

A minha insuficiência

janeiro 25, 2017
A minha insuficiência

Dicionário Priberam:
in.su.fi.ci.ên.ci.a (latim insufficientia, -ae)
substantivo feminino
1. Exiguidade, deficiência.
2. [Figurado] Incapacidade.

Tive que conversar com um amigo sobre isso, porque o que me incomoda pode incomodar a muita gente que está na mesma posição que eu, ou existe algo errado comigo e que eu preciso corrigir ~fast. O bom é que ele é muito legal, muito mesmo. <3<3<3

Me sinto insuficiente, com uma incapacidade de me sentir satisfeita com o que faço para o Reino. Sempre parece que está faltando algo pra fazer, que eu devia fazer mais, estudar mais, ficar mais perto do Criador. É como que se tudo o que estou fazendo para Ele fosse pouco, pouco demais.

E de fato é. Não sou suficiente como pessoa, sou pecadora, imperfeita. Eu erro, falo besteiras, ajo como não devo agir, penso o que não devia pensar (e às vezes eu tenho até consciência disso). Isso é pra chorar um monte =(.

Oro pra Deus pedindo sabedoria, capacitação, ideias pra poder levar o Seu mundo para as pessoas. Mas levar de maneira correta. Que todas as coisas que eu digo eu possa fazer também, para enxergarem que não é simplesmente da boca pra fora, vem do coração <3. Que eu não distorça as suas palavras enquanto estou estudando com o meu grupo do coração (elas me escolheram, e eu fiquei muito feliz e grata por isso).

Que esse incômodo no coração seja mais que um sinal, seja uma motivação para que tudo o que eu fizer eu faça para a glória de Deus. Que eu deixe minha alma ser moldada por Jesus como é o vaso na mão do oleiro, que a minha vida mostre apenas a Jesus, não a mim.
Imagem: Unsplash | Colin Maynard

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

A Menina Submersa, Caitlín R. Kiernan

janeiro 12, 2017
A Menina Submersa, Caitlín R. Kiernan
Pense em um livro que te transporta literalmente para uma outra realidade. Uma realidade que é normal para oura pessoa que, bem, talvez você conheça mas que não faz a mínima ideia da batalha que ela luta todos os dias.

Foi exatamente essa a impressão que eu tive ao ler A Menina Submersa e saber muito mais do que se passa dentro da cabeça de uma pessoa dada como louca pela sociedade, além dela também ser sucessora de duas mulheres também diagnosticadas como esquizofrênicas.

A diferença é que India Morgan teve o seu futuro totalmente diferente de sua mãe Rosemary, que morreu em um hospital psiquiátrico e que sua avó Caroline, que faleceu em casa.
Essa é mais uma característica dos fantasmas, uma característica muito importante: você tem de tomar cuidado porque assombrações são contagiosas. Assombrações são memes, em particular, transmissões de ideias perniciosas, doenças contagiosas sociais que não precisam de hospedeiro viral nem bacteriano e são transmitidas de milhares de modos diferentes.
Como não leio premissas de livros, leia-se resumos, não fazia muita ideia do que esperar sobre esse romance/thriller. Descobri logo no início que o título veio de uma pintura que mexeu muito com a protagonista aos 11 anos e que diversas obras da literatura e da arte ajudaram a moldar a mente dela em todas as coisas que ela faz no dia a dia. O mais interessante ainda é que nós somos apresentados a todas essas artes. Livros, quadros, figuras, contos, aromas, sentidos. Tudo é usado para tentar nos aproximar mais de Imp e das suas sensações nos diversos fatos diferentes apresentados durante a narrativa.

Não é um livro fácil de ler e de entender, principalmente depois que Imp conhece Abalyn e Eva. Sério, as coisas ficam bem difíceis, a absorção é mais demorada e você não consegue explicar bem com palavras.

E podemos pensar em algumas coisas... O que fazemos é feito pensado nas pessoas ou nem sequer imaginamos o que pode influenciar nas ações delas? Leia o trecho abaixo e descubra porque coloquei isso:
Um livro. Um meme pernicioso que criou uma assombração, um tipo de ponto focal para pessoas que não querem mais viver. Da mesma forma que com Philip George Saltonstall e A Menina Submersa, acho difícil acreditar que Matsumoto queria fazer mal a alguém. Duvido que ele tenha conscientemente despertado a assombração do Mar de Árvores. Mas as intenções entram nisso? A de Saltonstall ou de Albert Perrault? Eles são inocentes ou nós os consideramos responsáveis?
O Mar de Árvores ao qual Imp se refere é à floresta no Japão que muitas pessoas vão para se suicidar por diversos motivos.

É um livro completamente diferente de tudo o que já li. Uma parte biográfica da vida de Imp, especificamente de uma parte bem difícil da vida dela. E foi bem difícil para mim também.

Não é um livro feito para qualquer tipo de leitor. Você vai querer parar de ler logo no início por ter muitas referências, pode parar no meio porque as coisas começam a ficar confusas, bem perto do fim também porque vai presenciar momentos de crise intensa. Se passar por todos esses fatos e mesmo assim ir até a última página, vai ter tirado tantas lições que são impossíveis de serem ignoradas.

Leia A Menina Submersa, de Caitlín R. Kiernan.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Escreva o que te inspira

janeiro 09, 2017
Escreva o que te inspira

Oi pra ti! Como está?

Próxima postagem antes de uma resenha: escreva o que te inspira e nada além disso.

Li 04 livros antes de virar o ano. Pelas contas, em 02 semanas li 01 livro a cada 03 dias mais ou menos e deles só tenho 02 para postar a resenha aqui pra vocês darem uma lida e, se quiserem, comprar, ler e se apaixonar como eu ou odiar como outras pessoas ~porque nem todo mundo é igual né?~.

O que eu quero dizer com isso?

Não é porque você leu um monte de livros que todos eles precisam estar no seu blog para as pessoas leem, até mesmo aqueles que você não curtiu muito ~salvo os casos que você precisa colocar a resenha porque é um compromisso~

Escreva as coisas que te inspira. Que você acha que pode ao menos despertar um pouco a curiosidade das outras pessoas para que elas procurem mais na internet, se interessem de verdade. No meu caso os livros que vou postar aqui depois são de uma editora que admiro muito, porque o trabalho dela com os livros é maravilhoso (e não pesam no bolso devido à qualidade) e de um autor que descobri por um desafio literário num grupo no Facebook e me apaixonei pela escrita dele, virou um dos meus preferidos da vida.

Sei que estou falando aqui de livros, mas existem tantas outras coisas que podem inspirar de verdade e que dá um conteúdo tão bom, tão bacana! Às vezes, só de olhar pra uma flor um poema nasce, um céu azul e dá vontade de falar sobre esperança, observar a cidade com tantas pessoas e a gente começa a pensar em como viver de verdade, porque a era da informação está crescendo tão rápido ~fico até meio desnorteada com isso, hahaha~.
Hey, viva escrevendo o que quer! Vai dar só o amor no final.
Um beijo e um queijo pra você!
Tchau!
Imagem: Unsplash | Hope House Press

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Ser Cristão: Estudos na Internet

janeiro 04, 2017
Ser Cristão: Estudos na Internet

Oi gentem!

Um Feliz 2017, primeiramente! Logo, logo vai sair um texto sobre os tais objetivos de ano novo, então espero que gostem!

Agora vamos prosseguir com o assunto de estar firme na palavra de Deus e, para isso, precisamos estar dispostos a estudar, e não é pouco não. Além de tentar entender uma passagem poética, uma guerra, essas coisas ~mas ninguém se torna um especialista no final~.

Além da Bíblia de Estudo, que possui diversos tópicos para serem estudados (claro), além de vir com meditações na maioria das vezes, existem os estudos feitos para serem disponibilizados para o público, para que todos possam crescer juntos na fé. E não são difíceis de se achar não.

Pensando nisso, vou deixar alguns links aqui com uma breve descrição ao que se refere. Você também pode procurar em outros locais e deixar aqui pra gente depois, vamos crescendo juntos dessa maneira, até porque existem diversas temáticas pra serem aprendidas.

No Facebook: UPA
No PDF: GirlDefined (inglês) - Aqui você baixa direto o pdf com as devocionais. O link leva diretamente para o cadastro. 
Na revista: Ultimato
Eu tenho uma bateria de estudos que fiz uma vez e que estou pensando em disponibilizar! Assim que acontecer, atualizo aqui pra nós!

Espero que tenha gostado das indicações. Deixa aqui nos comentários os links de algum site que goste e que quer compartilhar também.

Fique com Deus!
Um beijo e um queijo S2!!!
Imagem: Pixabay | Editado por Divana