Dezembro 2016 - B. Saphy, by Divana Barbosa

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Journal #004: Sobre ser como Cristo no dia a dia

dezembro 19, 2016
Journal #004: Sobre ser como Cristo no dia a dia

Essa semana está sendo cheia de surpresas e olha, as pessoas estão me deixando embasbacada, principalmente porque sempre fui muito positiva não só com elas, mas com todas (leia-se a maioria) das situações... Só que eu sou muito inocente e ingênua sabe, mesmo no mundo que vivemos agora ~pois é, não sei como ainda consigo ser assim~.

Muitas coisas estão acontecendo ao meu redor e eu sequer notei. Acredito que o principal motivo é porque não quero me machucar muito, ter meus pensamentos, esperanças, motivações comprometidos pelo fato de estarem vinculados a algum tipo de sentimento que tenho por pessoas que estão perto de mim...
Só que uma hora a gente tem que parar e passar a ouvir tudo o que existe ao redor, e voltar pra realidade, uma realidade ainda maior que você está vivendo.
O exemplo que quero dar e que influencia tudo o que estou passando no momento é o fato da política no país estar uma bagunça. Querendo ou não ela influencia na nossa vida de uma maneira estrondosa, gigante, em que tudo o que fazemos depende dela pra dar certo ou não. A sua vida, sua sobrevivência, depende muito de você arrumar um emprego, ser capaz de se sustentar e sustentar a sua família (caso tenha essa tarefa) e ainda se relacionar com as pessoas, porque essas pessoas podem não ter a mesma opinião que a sua e falarem muuita besteira pra cima de você, só que vamos cultivar a paciência, o falar tranquilo e sábio pra não dar briga, porque né...

Mas o caso é que muitos cristãos estão esquecendo, suprimindo, fazendo sumir da sua vida princípios bíblicos ensinados por Deus para que vivamos bem, em comunhão e ajudando aqueles que precisam! Puxa vida, estou brava com atitudes assim, hahaha. Pensem numa ironia.

Essa revolta se resume a duas situações específicas (pelo menos até o momento):
  1. O evangelho de Lucas, que foi um médico, é muito específico. Lá ele diz algumas coisas importantes e aqui quero abordar a sua preocupação em deixar bem claro que Jesus não veio para o salvos, mas para os perdidos, os pecadores, aqueles rejeitados pela sociedade da época que tinham um padrão de perfeição definidos de superpoderosos e etc (o que tem hoje também, about the way), e como é difícil pro RICO entrar no reino dos céus porque se preocupa só com dinheiro e o quanto pode ganhar mais e mais. Então te digo: cristão, tu tem dinheiro? Ótimo! Isso é muito bom, de verdade, mas não deixa ele se apossar da sua vida porque quando você passar dessa pra melhor ele vai ficar, e não vai adiantar de nada a quantidade que tem.
  2. Pensem no que colocamos no lugar de Deus hoje, durante todos os dias, todas as horas, minutos, segundos... Não tem mais como rotular as coisas e dizer que cristão tem que ser assim e assado, andar com gente x e y. Estamos numa sociedade pluri-cultural, onde a apologética não se encaixa perfeitamente como antes por causa da diversidade e as pessoas confundem Cristianismo com Religião. Cristo tem que ser a nossa base, o nosso exemplo. E você sabe de todas as coisas que Ele fez, não é?
Nunca pensei que o texto ia ficar tão grande! Mas fica aqui meu desabafo e esperemos pelo próximo capítulo dessa novela que está longe de acabar, infelizmente.

Fiquem com Deus! E não se esqueçam de Cristo, por favorzinho.
Imagem: Unsplash | Christian Sterk

sábado, 17 de dezembro de 2016

Pra você #001: O Penúltimo Capítulo, Clarice Pessato

dezembro 17, 2016
Pra você #001: O Penúltimo Capítulo, Clarice Pessato

Oi gente! Tudo bem?

Como essa é a primeira postagem, vou explicar um pouquinho como que vai funcionar e como que esse aqui é um pouco diferente dos próximos que virão.

Na medida que eu for lendo alguns exemplares que tenho vou "sortear" entre vocês. O que acham? Não são livros novos, mas são livros muito bem conservados, se passando por novos em praticamente todos os casos. Não quero nada em troca, de tanto que, se você for ver as entradas no sistema de sorteio, elas são para visitas nas páginas do Facebook especificadas. Mas sim, as outras são entradas opcionais e elas são para curtir, seguir, etc.

Então vamos ao primeiro!

Esse livro foi disponibilizado pela autora, Clarice Pessato, com resenha aqui (blog da Ju Cirino). Ele é muito bom e já resenhei em um blog que eu tinha. O único problema é que eu acredito ter perdido o backup no meio disso tudo =(. O livro já está comigo e vou também fazer uma releitura e tentar postá-la antes do sorteio ser finalizado.

a Rafflecopter giveaway

O sorteio é válido do dia 17/12/2016 até o dia 17/01/2017. Ou seja, temos aí no caminho 30 dias para você conseguir participar com a gente. O ganhador tem 72 horas para entrar em contato comigo para o envio do endereço hein, senão um novo sorteio vai ser feito. 

O contato pode ser feito pela página no Facebook e por e-mail. O e-mail está logo ali em cima, em Contatos!

Os próximos livros para distribuir eu já tenho! Então não fica de fora desse e fica ligado para os próximos!!!

Beijos!!! Fiquem com Deus!
Imagem: Divulgação | Segredos Literários

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

O lar da Srta. Peregrine para crianças peculiares - o filme

dezembro 15, 2016
O lar da Srta. Peregrine para crianças peculiares - o filme
Copyright: Filmes Online | Divulgação
Hoje estou aqui pra falar de um caso não muito comum de comparação entre um livro e um filme. Talvez seja porque um dos dois me decepcionou bastante e pude ver de verdade que as diferenças entre eles fazem uma grande diferença na narrativa.

Pois é, foi exatamente isso que leu e eu posso explicar o motivo. =)

Li O Lar da Srta. antes de assistir ao filme, e posso dizer um bom tempo antes de assistir, talvez um mês, porque demorei mais duas semanas pra assistir ao filme e já havia terminado. Mas até lá já ouvi falar sobre as mudanças que o estúdio fez na narrativa para o filme e a tornar um tanto mais poética, talvez mais fluida. Olhei um pouquinho torto pra isso, e o detalhe é que eu estava basicamente na metade do livro (e até essa metade quase nada tinha acontecido direito).

Então cheguei ao final e olhei mais torto ainda, pro LIVRO! Eu olhei e disse pra mim: só isso? É sério que só isso aconteceu? Não dava pra colocar mais coisas aqui não? Mais participação, uma ação mais prolongada, coisa assim? Senti falta de mais detalhes, muitos detalhes.

Dei um ok no livro e decidi que não vou ler os outros dois (ou três?). Não vou acompanhar os livros.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Você nunca é muito jovem para viver para Cristo

dezembro 09, 2016
Você nunca é muito jovem para viver para Cristo

Nasci em Tembisa, a segunda maior cidade-porto no Sul da África.

Como muitos na nossa parte da África, nasci na Igreja Católica Romana, e nossa família, como muitas, praticaram ambos o romanismo quanto o culto ancestral. Cresci e me tornei uma criança problemática. Rebelde. Sem pai. Pobre. Era assim até minha mãe nascer de novo.

Depois de se desvincular da Igreja Católica Romana e ganhar a liberdade de adoração dos ancestrais, minha mãe nos levou para a igreja com ela todo domingo. Eu ia à igreja toda semana (às vezes forçado) e na escola dominical. Conhecia as escrituras no entanto, não era salvo. Eu vivi uma vida de amargura, dor e solidão. E não tinha uma figura paterna para me guiar.

Quando eu tinha 16 anos, vim a ter o conhecimento de Cristo e finalmente entender o que Ele fez por mim. Um pastor da Europa tinha vindo pregar em um reavivamento em uma igreja perto da minha casa. Eu saí da reunião com muita coisa para pensar – a tristeza pelo pecado competiu com a recém-encontrada felicidade de aprender que existia um Salvador. Eu acordei no próximo dia ressuscitado espiritualmente da morte.

Dois anos depois, no meu primeiro ano na universidade em Pretoria, um colega de classe me indicou os sermões do John Piper e eu vim a acreditar e amar o ensino bíblico da soberania de Deus. Escutar a palavra pregada era como assistir a um jogo de futebol intenso (futebol mesmo ou futebol americano!) - você não quer mover seus olhos, ouvidos ou atenção da tela. Eu vim a acreditar e amar a soberania de Deus. Minha visão de Cristo era em todo o tempo mais alta e eu vi que Deus era mais glorificado em mim quando eu estava mais satisfeito Nele. Mas esse não era o fim.

Nenhuma realização em uma vida desperdiçada

Dois anos depois, eu passe por Don't Waste You Life (Não Desperdice a sua Vida – tradução livre) em uma livraria cristã no campus. Pensei em planejar a leitura durante as férias de Natal mas eu não podia esperar – comecei a abrir as páginas.

O livro transformou radicalmente meu pensamento da vida cristã, e eu não tinha escolha além de olhar pra mim mesmo e em oração fazer algumas mudanças. Através de muito estudo da Bíblia e oração, Deus me encheu de uma grande paixão para com Jesus Cristo.

A sociedade tem mentido para mim. Eu disse a mim mesmo para esperar até que estivesse mais velho para viver uma vida cristã. A grande inverdade que o mundo fala para nós é que nós podemos achar mais alegria se esperarmos ou até negligenciar uma vida gasta para a glória de Deus. Isso alimentou em nós uma mentira que a realização é encontrada no que prova ser uma vida não vivida.

Você tem escutado a mentira?

Especialmente no século 21, a sociedade nos diz para colocar Jesus na estante até que estejamos mais velhos. Você só vive uma vez, então você precisa gastar seu tempo focando nas coisas que estão nos trending no Twitter, na nova música, na moda, no status social, ou encontrando uma esposa, ou se assegurando em um bom emprego. Essencialmente, é dito que viver para Jesus não é cool, mas é perda de tempo. Melhor gastar nossa juventude atrás de riqueza e prosperidade e prazeres que competem apenas a nós.
Esta mentira é incutida na nossa vida diariamente que nem temos visto os seus efeitos. Está escondida na televisão e filmes, nos trending tops de vídeos e músicas, nas palestras da universidade. Em cada caso, nós pensamos que ter dinheiro e conseguir coisas é nossa maior felicidade.
Não escute às mentiras. O significado da vida não é encontrada conseguindo coisas. No fim, até a família e os relacionamentos não podem ser o senhor de grande importância. O único significado da vida é estabelecido para a felicidade dos outros em Cristo – e você nunca é muito jovem para começar. É melhor perder a sua vida completamente do que gastá-la em buscas sem sentido.

Nunca tão jovem para vida verdadeira

Não importa se você nasceu na África, Ásia, Europa, Austrália ou nas Américas, você nunca é muito jovem para ter Cristo e Sua vontade para a sua vida.

Charles Spurgeon uma vez disse, “Vocês, jovens homens que são fortes, vençam o ímpio, e lutem pelo Senhor enquanto podem.” Com as mesmas palavras, eu digo para vocês homens e mulheres cristãs ao redor do mundo, vençam a fraqueza, vençam as mentiras que nos fazem espiritualmente preguiçosos, e lutem o bom combate de fé. Você nunca é muito jovem pra viver para Cristo.
~~~~~~~*~~~~~~~
Créditos: © 2016 Desiring God. Original: You Are Never Too Young to Live for Christ by Lesetja Lekoloane - Publicado em 15 de Novembro de 2016. Tradução: Divana Barbosa © 2016 Anavid. Todos os direitos reservados.
Você pode reproduzir este material em qualquer formato desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.
Imagem: Unsplash | Jake Thacker 

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Qual a recompensa? - O Poder do Hábito, Charles Duhigg

dezembro 06, 2016
Qual a recompensa? - O Poder do Hábito, Charles Duhigg
Copyright: SOS Concurseiro
O que você me diria sobre o seu hábito? Aqueles muito bons que te levam a fazer e pensar coisas boas. Aqueles ruins que você sabe que tem que mudar, senão algo inesperado pode acontecer e acabar com um tempo muito grande de dedicação.

Pois é. É quase sobre isso que O Poder do Hábito de Charles Duhigg nos faz entender. A diferença é que ele abre estudando comportamentos isolados de pessoas que buscam ajuda, consegue incluir isso numa Deixa → Rotina → Recompensa e faz a gente ficar de queixo caído. E esses comportamentos são dos mais variados tipos! Desde vícios a negócios para alavancar as vendas de uma empresa, por exemplo.
Seja vendendo uma nova música, uma nova comida ou um novo berço, a lição é a mesma: se você veste alguma coisa nova em hábitos antigos, fica mais fácil para o público aceitá-la.

Empresas que hoje têm um sucesso antes não eram um tanto assim. Temos exemplo da Alcoa no livro, uma empresa cara, por muitos anos única no mercado pelo segmento que trabalha, que quase foi à falência. No livro, foi estudado o método usado para que ela pudesse reascender como uma das empresas mais seguras do mundo, senão a mais segura.

E praticamente tudo isso foi implantando um hábito que fosse bom, ajudasse na rotina e trouxesse mais resultados positivos que negativos pra quem estivesse lá.
É assim que a força de vontade se torna um hábito: escolhendo certo comportamento de antemão e seguindo uma rotina quando um ponto de inflexão surge.

Leiam O Poder do Hábito. Aqui tem um texto que fiz quando estava lendo perto da metade dele, senão um pouco mais. E me chocou imensamente, tirou um pouco da minha ignorância. Agora, pelo menos, sei como tentar tirar um hábito não muito bom na minha vida.

Ah, e no final tem algumas dicas pra nós, não diretores nem administradores. Não é uma receita de bolo, então vai tomar tempo até que tudo volte nos eixos.
O problema é que não há uma única fórmula para mudar hábitos. Há milhares.

Só não desanime! Dê uma chance ao livro e se divirta!
Milhões de beijos e abraços!!!
Quote do coração: “Uma vez que isso acontece, elas passam a se autoalimentar. As pessoas seguem Jesus Cristo não porque você as conduziu para isso, mas porque é isso quem elas são.” - Warren 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Um texto do Natal - 2016

dezembro 01, 2016
Um texto do Natal - 2016

Nos outros blogs que tive, e posso dizer que foram alguns, costumava fazer uma postagem sobre o Natal logo no início do mês de Dezembro. Não preciso dizer que, quando se pensa nesse mês vêm à cabeça:
  • Fim de ano;
  • Férias;
  • Natal;
  • Comida boa;
  • Viagem.
Pelo menos na minha cabeça vêm todas essas coisas, até porque eu vou pra minha cidade visitar meus pais, irmãos, parentes… Passo esse tempinho com eles e depois volto pra cá, o interior, que já amo.

O mês de dezembro é aquele mês que esperamos com expectativa. E para nós cristão comemoramos o nascimento de Jesus Cristo mesmo que Ele não nasceu nesse dia 25 e sim em outra data mais perto do início do ano, logo no primeiro semestre, como dizem algumas pesquisas.

Essa data foi escolhida devido à adequação da religião cristã com outras culturas há muito tempo e os povos foram carregando isso até hoje, e não vai acabar. Se tornou cultura, parte de uma sociedade, mas nem todos comemoram. Posso dizer que o Halloween também é assim, uma festa pagã mas que antes era marcada com as crianças indo de porta em porta pedindo doces e oração para seus vizinhos. Não tinha abóbora, bruxas, mas velas iluminando a entrada da casa. Um amor só.

Mas voltando ao Natal, ao nascimento de Cristo, deixo com vocês um texto da Bíblia que fala sobre esse momento maravilhoso, no qual o Salvador veio ao mundo para nos dar uma segunda chance, o outro Adão, mas dessa vez perfeito, não pecador, Filho do Homem, Filho de Deus, <3.
Foi assim o nascimento de Jesus Cristo:
Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, mas, antes que se unissem, achou-se grávida pelo Espírito Santo.
Por ser José, seu marido, um homem justo, e não querendo expô-la à desonra pública, pretendia anular o casamento secretamente. Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse:
- José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.
Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta:
A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel” que significa “Deus conosco”.
Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa. Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.
Mateus 1:18-25

Muitas vezes me faltam palavras pra dizer sobre o amor que sinto. E o que se tem então? Apenas agradecimento, engrandecimento, alegria, vida!

Beijos e fiquem com Deus.
Não esqueçam o quanto essa data, mesmo não sendo a verdadeira, significa.

Até maiiis, bye!
Imagem: Unsplash.com | Beatriz Pérez Moya