Not - Vida Online ou on line


Acredito que esquecer a gente nunca esquece, mas as coisas ficam guardadas dentro de uma caixinha com um título parecido com “menos importante”. E talvez essas coisas sejam aquelas que têm que estar na caixinha “urgente”.

Quando penso no parágrafo anterior, a palavra objetos aparece mais rápido para substituir coisas. Mas substituir essa palavra por pessoas torna tudo mais... Profundo.

Não se tem dado tanto valor àqueles que estão perto todos os dias, e não quero generalizar porque sei que sabe que isso é particular, mas está se tornando comum. Mas quero dizer, eu sinto falta.

Esses duas saímos para ir a uma lanchonete. Muita gente no celular e poucos conversando e, se estavam, digo “Oi, WhatsApp”. Então, eu e mais dois amigos <3 fizemos uma brincadeira que exigia que a gente deixasse o mundo virtual de lado e prestasse atenção naquilo que se estávamos fazendo.

Não sei se essa era a intenção mas tinha uma mesa com uma família ao lado. O moço olhou com uma cara meio que chamando a gente de “bagunceiros e a gente nem tinha começado a rir direito um do outro com a desatenção e justificativas para continuar ali, brincando.

Estamos perdendo um pouco da personalidade de ser, de estar, de amar, de abraçar. =(

Vamos fazer um trato? Deixar pra ver as redes sociais uma ou duas vezes ao dia e curtir todas as outras horas?

Milhões de beijos!
Imagem: Unsplash.com | Sidharth Bhatia

0 comentários

Oi!
Deixe seu comentário aqui que ele vai ser publicado o quanto antes. Pode fazer críticas, elas são bem vindas! Mas comentários com palavras de baixo calão não serão postados.
Fiquem à vontade! Ah, e sem spam.
Küsse!