Se valorizar não é egoísmo



Essa ideia surgiu quando vi uma imagem muito linda do Chuvisco e Rabisco no Instagram. Mostrava uma mulher com um balãozinho e um coração dentro dele. E pensei um tanto nisso e percebi que não tem nada de errado em nos valorizar, pensar muito na gente antes de tomar uma decisão.

Mas como assim? Não entendi o que você quer dizer com isso.
Vou explicar.

Nos princípios cristãos está escrito para não julgarmos as pessoas ao nosso lado, para os valorizar como nos valorizamos, não fazer o mal contra ninguém e amar os nossos inimigos.

Muitas coisas giram em torno da gente para fazer o outro se sentir bem, para ajudá-lo o quanto puder porque é assim que queremos ser tratadas também. A princípio a gente pensa na ação e recompensa ~estou lendo muito O Poder do Hábito, hahaha~ só que não é tão assim porque, no fim, nem lembramos muito disso. Pensamos em ajudar mesmo.

Mas, lembra quando as coisas meio que saem do controle e você sente que está fazendo mais do que pode pra não dar em muita coisa depois? É isso aí mesmo e, poxa, não é culpa de ninguém, é mesmo minha. Eu que deixei que se tornasse uma bola de neve assim.

Então mudei a linha de pensamento ao refletir que se valorizar é muito diferente de egoísmo, de olhar para o seu próprio umbigo e deixar as pessoas se virarem o quanto puder, porque aquilo não é da sua responsabilidade mesmo…

Se valorizar é ajudar até onde pode, como pode. Não é deixar as suas coisas de lado, mas colocá-las também na lista de prioridades e arranjá-las no seu tempo.

Você não é obrigado a fazer nada pra ninguém, mas também não é negar tudo. Faz o que pode, tome responsabilidades apenas dentro do seu limite, e nada mais.


Um monte de Küsse ~beijos~ pra você!
Imagem: Unsplash.com | Jamie Street

0 comentários