Agosto 2016 - B. Saphy, by Divana Barbosa

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Ser Cristão - Eu realmente me converti?

agosto 31, 2016
Ser Cristão - Eu realmente me converti?

Oi gentem! Hoje vou tentar tirar um pouquinho essa pergunta da sua cabeça, porque ela não depende só da sua decisão em pensamento, mas da sua decisão quanto à sua ação também.

Pode parecer bem estranho, mas não é. Vou te mostrar.

Imagine comigo ~vou tentar trazer o máximo de detalhes possíveis, não ligue se eu começar a “viajar” um pouquinho~. Você está em um acampamento com os seus amigos e a maioria das pessoas são da sua idade, inclusive a maioria dos líderes dos quartos, menos o preletor, a organização e os cozinheiros. O local é bonito, você não tem muito o que fazer, além das brincadeiras de tarde, como futebol, vôlei, gincanas e a piscina, então você sempre vai para um desses lugares.

Então pense na última mensagem da última noite. Muitas vezes pregam o evangelho e te perguntam: você quer aceitar a Jesus? E você foi tocado por todas aquelas mensagens dos outros dias do acampamento e não liga se os seus amigos estão aceitando ou não, está tomando a decisão por você. Então diz sim.

Então você tomou a decisão em sua mente que é cristão a partir daquele momento, que quer seguir a Jesus S2. Isso é ótimo mas isso não é o bastante.

É muito comum ver pessoas, não só os adolescentes e jovens que mais convivo no dia a dia, que no acampamento têm uma personalidade mas quando voltam pra cidade se tornam completamente diferentes. E isso tem muita relação com as atitudes tomadas, as decisões as quais se comprometeram. É como se o que aconteceu lá não importasse mais, era só no acampamento, no culto, não na vida real. Mas, hey, é a vida real sim.

Todas as tomadas de decisão precisam de uma ação para se tornarem reais. Se você se converteu de verdade, se você realmente quis, as suas ações agora começam a mudar e tudo aquilo que desagrada o nome de Deus é praticamente descartado ~mas é claro que a gente erra, mas é papo para outro dia~.

Como sei que me converti? Responda as seguintes perguntas e você vai ter a sua resposta (isso não é uma receita de bolo, ok? Você se conhece muito bem, sabe dos seus pensamentos e atitudes, então seja sincero consigo mesmo):
  1. Você tomou essa decisão sob pressão?
  2. Os seus amigos estão te influenciando nela?
  3. Você quer realmente conhecer a Cristo?
  4. Você está disposto a deixar algumas coisas para trás?
  5. Você abriria mão de algo agora para não fazer mais?
  6. Você está disposto a seguir nesse caminho qualquer que seja a circunstância?
Não se preocupe se alguma resposta daí de cima for não. Isso significa que você vai ter que começar a trabalhar para que o Evangelho se torne verdade na sua vida.

Aqui vão as explicações do motivo dessas perguntas:
  1. Tudo que é tomado sob pressão não dá certo a menos que persevere muito;
  2. As pessoas erram, não deixe suas expectativas sobre elas;
  3. Você tem que querer e agir;
  4. Deixar as coisas pra trás são difíceis, requer muita dedicação;
  5. Sabe aquilo que você fala/faz que sabe que não é certo? Então, vai ter que dar uma pausa permanente/pra sempre/o sinônimo que quiser;
  6. Serão muitas as lutas: vai ter zombaria, vai ser deixado de lado por algumas pessoas, vai ser olhado diferente ~e vai ter algumas viagens com relação a isso também~… Tudo isso tem influência naquilo que você quer fazer daí por diante.
Preste atenção em algumas coisas. Se você realmente quiser, você pode.

Fica aqui um versículo para você se lembrar da escolha que tem e o motivo dela, porque não é uma simples decisão:
Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele.
João 3: 16-17 | John 3: 16-17

Nos vemos na próxima! Um grande abraço e quentinho no coração!  
Imagem: Pixabay.com | Editada por Divana =)

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Não sou careta

agosto 29, 2016
Não sou careta
Tenho certeza que você sabe disso, mas é bom reforçar: existem coisas que simplesmente não são pra gente mas as pessoas insistem. E também coisas que se você resolver tirar da sua vida não vão fazer nenhuma falta. É só pensar nas pessoas que estão perto de você e pronto, as coisas boas surgem como mágica ~mas não é mágica~.

Esse texto é mais um desabafo de coisas que eu deixei de fazer porque pensei nas pessoas que de certa forma me notam, que de certa forma me têm como exemplo, que de certa forma eu amo e quero mais que conheçam a Deus – porque esse é o meu maior objetivo de vida: apresentar a todas as pessoas a Deus sem usar palavras na maioria das vezes.

Sim, não é necessário só usar palavras. A sua vida já conta muito, porque é nela que as pessoas vão focar.

Já deixei de fazer muitas coisas. Recentemente, deixei de ir a algumas festas que não tinham muito sentido de ir. Eram apenas festas com o objetivo comum de diversão, e bem, é diversão (pelo menos no meu ponto de vista). Não tinha uma data marcante específica para isso, apenas a temática de Meio Engenheiro (nem dá pra acreditar que estou no sexto período do curso de engenharia, =D) e uma festa de alunos promovido pela faculdade.

Ah, e não estou, de maneira nenhuma, criticando nada minha gente. O que eu quero dizer é que eu não gosto de festas e estou muito feliz assim. Não gosto de balada, de festas com comemorações sem um motivo específico. Sou feliz e me divirto da maneira que eu acho que tem que ser PARA MIM e estou leve com isso, =D.

Sabe o agradar mais a Deus que aos homens? Então, tem tudo a ver com isso também. Até porque, como foi dito na postagem sobre os livros e os cristãos, tudo me é lícito mas nem tudo me convém. Então, que tal levar isso pra sua vida inteira?

Ah, e sabemos nos divertir bastante também. Isso é pra quem acha que não sabemos… Foi direto dessa vez <3.

Quero deixar bem claro que respeito tudo o que você faz, não tenho um preconceito de nada e tenho a plena certeza que você sabe exatamente o que faz e até onde as pessoas te influenciam, até mesmo para ser parte de um grupo… Tema para uma outra postagem, quem sabe.


Milhões de beijos e não tente agradar a quem não merece, mas sim a Deus.
Imagem: Unsplash | Artur Rutkowski

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Os livros e o cristão

agosto 24, 2016
Os livros e o cristão

Tema polêmico? Muitos acham que sim, por isso é bom discutir e procurar saber mais, não é verdade? E vamos falar especificamente sobre os romances, ficções, fantasias, biografias, clássicos, adaptados... Todos, menos aqueles livros escritos para o público cristão.

Mas por que isso? Porque é onde as pessoas têm mais dúvidas e sempre do tipo: Posso ou não posso ler? Hmmm, não sei.

O que Deus te diz?

Digo isso principalmente porque é o que mais importa. Deus jamais nos diz pra não ler isso ou aquilo, mas nos deixa um versículo muito importante:
Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram jsutificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus.
"Tudo me é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo me é permitido", mas eu não deixarei que nada domine. "Os alimentos foram feitos para o estômago e o estômago para os alimentos", mas Deus destruirá ambos. O corpo, porém, não é para a imoralidade, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo.
1 Coríntios 6:11-13
~Se não me engano, ele já apareceu por aqui... Mas tudo bem.~

Vê como tudo é permitido para nós, porque querendo ou não moramos nesse mundo ~apesar de não ser dele~, porém não quer dizer que tudo também deve ser ignorado. Nem tudo é ruim minha gente, isso que falta pra muitas pessoas entenderem pra não ficar "demonizando" tudo (thanks Pastor João pelos momentos de conversa).

E, além disso, existe um outro ponto: até onde a sua leitura vai te influenciar? Isso precisa ser analisado, logo. E ainda, não estou dizendo se é certo ou errado ler isso ou aquilo... Vão surgir algumas resenhas no blog que você pode até ficar meio assustado do motivo de eu estar lendo o tipo de gênero ou até o livro em si (se precisar, escrevo um livro sobre como foi a leitura pra mim depois), ou não, pode ser que até goste dele também.

A minha lista de leitura se resumem a alguns livros clássicos, como José de Alencar, Machado de Assis e José Saramago, li Limbo do Thiago que se encaixa nos gêneros de fantasia-ficção-mitologia, também e vai ter resenha de novo com o livro impresso e relido <3, tenho também algumas/outras ficções, Young Adult e, desse gênero, estou lendo Mentirosos, e fantasias, onde posso destacar Tokien com o Senhor dos Anéis, principalmente porque ele usa dos elfos como personagens, e eu gosto muito de elfos e fadas, e de borboletas e, por fim, biografias, como O Diário de Anne Frank.

Então, até que ponto você está se permitindo? Isso vai te fazer mal num futuro? O que está lendo te é permitido e te convém também? Por que não colocar tudo numa balança e ser muito feliz? =)

Mil beijos e aproveite a sua leitura! Em breve resenhas aqui! =)
Imagem: Unsplash | Aga Putra

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Ser Cristão - Uma introdução

agosto 17, 2016
Ser Cristão - Uma introdução

Oi, oi, oi gentem ~está escrito errado, mas sempre falo assim, então...~. Hoje venho falar de um projeto que Deus colocou em meu coração e tem me incomodado muito pra pelo menos começar a discursar por aqui um pouco mais.

Os novos convertidos.

Quero te dizer realmente que ando um pouco desanimada com relação à nova geração, não que eu seja tão velha assim. E quando digo nova geração, falo especificamente aos novos convertidos que tem como base um evangelho que não é verdadeiro. Está tudo certo crer em Deus, mas ser sempre a mesma pessoa que era antes de ter tomado essa decisão não é tão coerente assim.

Quero te ajudar nessa nova caminhada, e em como a vida não pode ser do jeito que era e vou dar diversos motivos para isso, inclusive em como as igrejas não são iguais umas as outras e muito menos os pastores têm a mesma visão de evangelho, porque o que se vê nas redes de notícias não servem para todas as pessoas do planeta Terra.

Como vai funcionar: vou postar diversos textos, muito provavelmente um por semana. Não vou contabilizar uma quantidade específica, pois à medida que o assunto caminha diversas dúvidas ainda  podem surgir e, com isso, mais postagens. Então não faz sentido eu dizer que serão 10 porque podem vir muitos mais.

Também não vou fazer com que uma postagem dependa da outra, isso torna o fluxo mais constante e mais interessante. Se para entender melhor do assunto eu precisar de outro texto, deixo linkado e está tudo ótimo =)

Então, com tudo o que eu disse, te convido a entrar nessa comigo, para podermos conversar, tirar as dúvidas que você tem ou pode vir a ter durante essa caminhada, que é longa e cheia de obstáculos, e a buscar sempre mais a vontade de Deus.

Mil beijos, e abraços e quentinho no coração,
Imagem: Pixabay.com | Editada por Divana =)

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

As pessoas na nossa vida

agosto 08, 2016
As pessoas na nossa vida

Talvez eu não tenha feito um texto tão pessoal assim antes aqui, nem em qualquer outro lugar, só que não quero falar tanto pra não parecer chata, ou coitada, nem nada. Quero dizer bastante da importância das pessoas na nossa vida e do tanto que elas fazem diferença.

Uma coisa que tenho dito muito aqui é que ninguém é perfeito, ponto. E isso é uma verdade que eu sei que você sabe muito bem, só não sei se sabe o quanto isso é importante. São os nossos defeitos que nos tornam únicos. Uma teimosia, um orgulho bom, uma vaidade adequada, um sorriso sincero, um olhar marcante. São as diferenças que nos tornam quem somos.

Hoje, bem, eu conheço um monte de gente pela fisionomia. Sou boa com isso, os nomes eu esqueço rapidinho se não ter um contato na agenda com foto ou uma conversa por mês, no mínimo. E cada uma tem uma particularidade que me faz gostar dela, querer conversar, trocar uma ideia, como dizem por aí.

E o simples fato dessas pessoas estarem comigo, conversando, faz eu me sentir um tanto única e especial também. Não quero me exaltar aqui, mas quem não gosta de ficar com os amigos? Conversar um monte e dormir tarde da noite porque o papo estava bom? Tem algo mais especial que dar a atenção e ser atendida também?

Sei que muitos são ocupados e que a mensagem enviada é respondida horas depois, talvez dias depois, hahaha? Nunca se sabe, não é? Mas se isso acontecer contigo, saiba que é importante, que você faz falta e porque as pessoas querem conversar contigo sobre diversos assuntos, que você é uma pessoa única.

Quem mais perderia alguns minutos do dia pra te dizer um oi e perguntar como está? O tempo é algo precioso hoje, muitos reclamam que não o tem, mas se ele é gasto com você, fique feliz.

Uma lição de moral? Um puxão de orelha? Longe disso, minha gente! Quero dizer que amo todos os meus amigos, todos aqueles que convivo nas semanas da minha vida, nem que seja um dia dela, ou um dia de um mês. Você faz falta!

Um beijo e um queijo S2.

Até,
Imagem: Unsplash | Ben Duchac

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Vida ou Estilo de Vida?

agosto 01, 2016
Vida ou Estilo de Vida?

Tem algo de muito estranho num mundo no qual a gente se sente estranho por ser normal.
Graças a Deus que existem sites, blogs, colunistas e autores para inspirar postagens que vão fazer diferença na vida da gente, não é?

Você tem ideia do que é um lifestyle e o que é realmente a vida? Pode ter certeza que vida a maioria das pessoas têm, mas o lifestyle é pra poucos, você vai perceber isso.

Estou fazendo essa postagem pra te indicar um texto muito bom escrito pela Ruth Manus, no Estadão. Tem um bom tempo que ele está marcado como um favorito pra poder escrever isso aqui. E queria que você desse uma lida até o final, por mais “grande” que possa parecer ~mas espero que não fique tão gigante assim~.

Ela diz muitas coisas interessantes nele, inclusive essa diferença lifestyle e vida de verdade. A lifestyle é a quando a vida dela “é que tudo nela é digna de um post nas redes sociais" – palavras da Ruth. Podem ser fotografadas a qualquer hora do dia, da noite, e até mesmo dormindo, vão ficar lindas e maravilhosas sempre.

Mas todos são assim? Não mesmo. Porque eu não sou assim e, provavelmente, você também não. Andamos de pijama pela casa, com aquele coque no alto da cabeça e sem maquiagem porque é libertador, comemos pipoca até não poder mais na sala e não estamos nem aí para o que nossos pais vão achar, até porque estamos em casa né? Quando tem um dia longo de trabalho você já não está aquela beleza da manhã e a maquiagem não está mais linda e bela como deveria, porque, afinal, foi um dia longo, e não tem nada de errado nisso.

A Ruth disse:
Tem palavras mais significativas que essas? O que tem de errado em ser normal?
Está ótimo, maravilhoso nós querermos nos organizar melhor, da maneira mais saudável possível, mas por que querer mostrar tudo isso para as pessoas? Acho que nem devemos.

A única aprovação que temos que ter na nossa vida são de Deus, nossa família e do nosso amor. E só. Seguindo o que dizem, porque a obediência é uma dádiva e faz toda a diferença, vai ficar tudo ótimo. Apenas se preocupe em seguir conselhos de quem se importam com você, viva a sua vida normal mesmo. Se quiser se arrumar, se arrume ué, você não vai ficar perfeita o tempo todo, até porque nada é perfeito de verdade.

Quis dizer tudo isso, mas com base no texto da Ruth Manus. Existe tanto uma preocupação em querer agradar os outros que esquecemos que nós também somos importantes e merecemos todo o cuidado em todos os aspectos: saúde mental, corporal e espiritual. Imagina você ficar com TOC o tempo inteiro e se olhar no espelho toda a hora para ver se tudo está no lugar? Você não vive, apenas sobrevive.

Um abração e um quentinho no coração!
Imagem: Unsplash | Chelsea Francis