Julho 2016 - B. Saphy, by Divana Barbosa

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Organização - Meu início

julho 25, 2016
Organização - Meu início

O que dizer exatamente sobre a organização da vida? Eu não posso dizer tanto, porque estou começando a deixar muitas coisas em ordem, muitas coisas realmente bagunçadas. E isso leva bastante tempo.

Como estou começando com tudo isso, classifiquei os processos em algumas categorias, como estudos, estilo pessoal, finanças, quarto, projetos pessoais e sociais. Nem preciso dizer que, no momento, minha prioridade são as finanças, porque está literalmente uma bagunça.

Só espero que até o final do ano tudo esteja em ordem (cruzem os dedos).

Pra começar tudo do zero, é necessário saber o seu perfil. E você vai ter surpresas e muitas coisas que você achava saber o significado, você realmente não sabe. E olha, vai bater muito com o que você faz durante o dia.

Então pesquisando aqui e ali, seguindo alguns links de um blog lindo que vou deixar aqui como indicação também para dicas e um norte de onde começar, cheguei num teste de perfil que me deixou embasbacada e que mudou minha maneira de pensar (além de ter previsto os meus projetos de organização e do Pinterest).

O link é esse aqui e vem do site Organize Sua Vida (esse post não é um publi, tá bom?). Chama-se Quer saber qual é o seu perfil de organização? e nem preciso dizer o quanto gostei. Fiz e refiz cada teste e deu uma mudança na porcentagem de cada uma das cinco principais características que ele te dá. São 25 perguntas que se responde rapidinho (no máximo 3 minutos).

Os meus resultados foram:
Perfil Tempo (como eu organizo meu tempo?):

Perfeccionista: 94%
Postergador: 56%
Generalista: 44%
Impaciente: 44%
Acelerado: 28%

Perfil Espaço (como eu prefiro que meu local de trabalho esteja?):

Minimalista: 98%
Visual: 82%
Impecável: 68%
Espaçoso: 50%
Bagunceiro: 14%

Me surpreendi muito. E não sou chata com tantas coisas não viu.

O Perfeccionista é aquele que busca deixar as coisas mais perfeitas possíveis, e nem preciso dizer que olha, tanta coisa é perdida por causa dessa característica. Nem sempre é uma coisa boa. E o próximo é Impecável, então já viu o tanto que isso é bom ~só que não né~.

Já ao Espaço sou mais Minimalista, que prefere deixar o que vai trabalhar em vista e o que tem pra fazer depois é guardado. Realmente essa é uma parte que eu sempre faço, e dá certo. Não me desespero tanto pra acabar uma coisa e começar a outra. E a segunda característica é a Visual. Não existe combinação melhor, não é?

P.S.: quero muito um quadro de parece pra escrever o que preciso fazer. Sou apaixonada por isso.

Então, entra lá no teste e deixa aqui o seu resultado pra gente ver! E aproveita e diz se condiz ou não com a sua pessoa.

Você quer que eu continue falando sobre a minha saga de organização? Prometo que o que estiver aprendendo pra deixar as coisas em ordem, vou escrever (quem sabe gravar?).

Muitos abraços e um quentinho no coração,
Imagem: Unsplash.com - Tim Gouw

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Meu Benigno Favorito

julho 21, 2016
Meu Benigno Favorito

Depois de quase séculos do lançamento de “Meu Malvado Favorito” com a Scarlet, assisti ao filme e vi algumas causas do seu sucesso. E olha, me diverti muito! E olha que é o primeiro.

Mas não estou aqui pra falar completamente sobre os Minions, embora eles tenham toda a responsabilidade nesse post (e amei o Bob – fofucho de tudo gente <3). Estou aqui pra falar sobre o início da história. Daquela parte que o narrador conta sobre a origem, o que eles sempre fizeram e como conseguiram “fugir” da tristeza ~não dá pra escapar sempre, não é?~.

Quero dizer sobre a vontade deles de terem um “Malvado Favorito” e em como tudo isso tem a ver com a gente. Sim, nós também procuramos “Algo” Favorito e pode ser qualquer coisa que vai fazer com que sejamos felizes, alguns momentâneos, outros pra sempre.

Vim falar sobre o meu “Benigno” Favorito, “Misericordioso” Favorito, “Pai” Favorito.

Já percebeu o quanto dependemos de coisas, detalhes que são, pra abrir um sorriso durante o dia, da pessoa especial para que nos tornemos especiais também? Eu e você? Já pensou também no quanto sentimos falta de alguma coisa e enquanto não conseguimos ficamos “na bad”?

Pois é. Só temos que encontrar algo pra preencher esse vazio que, primeiramente, não deveria existir, mas existe.

O narrador começa contando sobre a origem dos Minions e do quanto eles precisavam do seu “Malvado” para servi-lo, isso mesmo, servi-lo. Pra eles não importa o bem-estar deles, precisavam de alguém pra fazer feliz, e eles gostam dos malvados. Porém, com o avanço dessa história, deu pra perceber o que acontecia. Quando algo dava bem errado com o chefe, eles mudavam pra outro e assim foi… Até que decidiram que teriam que ficar sozinhos por um tempo, estavam ficando cansados de mudar e mudar… Acharam o lugar perfeito, mas por muito pouco tempo.

A tristeza voltou em peso e ninguém mais estava vivo… Então o Kevin juntou voluntários para procurar um novo líder para todos, e então saíram para o novo mundo que havia se formado.

Mas o que isso tem a ver comigo? Tudo.

Nós somos tão assim, em busca de algo mais forte que nós, que possamos servir. Pode ser tanto a nível espiritual, nas orações, rezas, pedidos, a nível pessoal, como o namorado, a namorada, o marido, a esposa, os filhos, como as coisas também, em que podemos citar o dinheiro, aquela bolsa, aquele sapato, aquela televisão junto com o videogame de última geração… Deu pra perceber a semelhança?

Só que a diferença é que a maioria dessas coisas são finitas não é? Por que colocar toda a sua felicidade em coisas que acabam, em pessoas que erram? Pois quando tudo acabar vamos voltar à estaca zero, tristes e vazios.

Por isso eu disse que tenho o meu “Benigno” Favorito, “Misericordioso” Favorito, “Pai” Favorito. Ele existe, sempre existiu desde o início do mundo, e até antes. Criou tudo, nos amou imensamente e ainda está perto mesmo que não queiramos mais saber Dele de vez em quando. E nada compra o Seu Amor, Ele nos dá de graça… E veio pra servir antes, nos servir, nos ensinar, nos amar, nos discipular. E foi maravilhoso.

E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie e árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie. E viu Deus que era bom.
Gêneses 1:12/ Genesis 1:12
E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis, e bestas-feras da terra conforme a sua espécie. E assim fo. E fez Deus as bestas-feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie. E viu Deus que era bom.E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
Gênesis 1: 24-28 / Genesis 1: 24-28

Então, por que continuar tendo fé, servir coisas finitas? Vamos ter fé no infinito, no Deus maravilhoso, que preenche, com certeza, todo vazio que existe, porque Ele pode preencher tudo o que estiver sentindo, tenho certeza disso.

Vou dar uma conferida no segundo filme pra ver o que os Minions vão aprontar dessa vez. Estou louca pra ver os pequeninos amarelinhos de novo. Eles são muito amor.

Küsse,
Imagem: pixabay.com

segunda-feira, 18 de julho de 2016

"The Bible Journaling" e como isso é maravilhoso!

julho 18, 2016
"The Bible Journaling" e como isso é maravilhoso!
Copyright: Blogs by Christian Women
Não adianta muito. Quando estou animada pra escrever alguma coisa vou lá e começo, não tem como parar ou pensar em alguma coisa diferente ~a louca do teclado~.

Copyright: www.illustratedfaith.com

Hoje venho aqui pra te falar de uma descoberta muito legal que vi primeiro no blog Vida Organizada. A postagem feita tem um tempinho, mas é de cair de amores e querer ter uma do estilo das fotos que a gente vê no Pinterest.

Estou falando da Bible Journaling ou Bíblia para Anotações (sim, com esse nome deu muito mais certo nas buscas brasileiras).

Eu fico escrevendo na minha Bíblia que é no tamanho padrão, com uma diagramação só um pouquinho mais espaçada, mas tudo fica bem miúdo nela. Então colo alguns Post-it nas páginas, marcadores laterais para alguns livros que ando estudando, e voia-lá. Fica uma beleza no quesito lembrança mas uma bagunça pra ler, hahaha.

Quem nunca escreveu na lateral de algum livro, qualquer um, e ficou um pouco difícil depois? Pois é.

Então eis que te apresento a Bíblia com o espaçamento maior nas laterais pra você usar a sua criatividade. Pode personalizar versículos, anotar os pontos importantes, desenhar, o que a sua criatividade permitir pra te fazer lembrar das palavras maravilhosas que Deus nos deixou, e Seu Filho também.

No site LifeWay tem muitas Bíblias do tipo que você pode comprar, mas são em inglês. Se você não se importar com a língua, vai fundo! Procurando no varejo brasileiro encontrei algumas bem interessantes, mas nas linguagens RC e NTLH (porque o conteúdo é importante, mas me importo um pouquinho com a linguagem de tradução também – sou um tanto chata, prefiro a NVI - Nova Versão Internacional - ou a ARA - Almeida Revista e Atualizada). Tem a Bíblia Sagrada Anote (encontrei com estoque aquiaqui e aqui) e a Bíblia com Notas para Jovens (bem bonitinha) na Tenda Gospel.

Me conta o que você achou! Você também escreve, anota por todos os lados da sua Bíblia? E dos seus livros? (confesso que nesses eu não gosto tanto, até porque, e se eu doar depois?).


Küsse,

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Porque ser uma mulher independente não é sempre bom

julho 14, 2016
Porque ser uma mulher independente não é sempre bom

Oi querida, eu realmente pensei que podíamos falar sobre isso um pouco mais,” disse Zack em um tom sério.

Nós tínhamos acado de finalizar uma discussão intensa sobre algo que não concordávamos. Minhas emoções estavam parecidas como se eu estivesse dirigindo um trem e estava farta de discutir. Cruzei meus braços como uma criança e olhei pra ele com um olhar frustrado.

Baby, por favor.” Ele disse firme, mas com um tom amoroso. “Vamos terminar essa conversa. Nós precisamos.” Ele gesticulou para eu me sentar no sofá.

Eu pude sentir meu espírito independente crescer de dentro de mim.

Eu não quero discutir esse problema mais, e eu não me sinto bem para falar sobre ele agora. Em vez de mostrar ao meu marido honra e respeito nesse momento intenso… Eu permaneci nos meus desejos e sentimentos de pecadora.

Eu não quero”, eu disse resoluta, olhando para Zack. “E eu não vou. Estou farta com essa conversa agora.” E com isso, sai de perto dele.

Nossa. Minhas palavras e atitudes foram FEIAS! (Agora você sabe o quanto pecadora eu posso ser!). Não foi bonito. Eu tinha permitido que minha “independência” e o egoísmo do meu coração passassem por cima da minha obediência à palavra de Deus. Eu soube que fui chamada para honrar e respeitar meu marido (Efésios 5:33 / Ephesians 5:33)… mas naquele momento não me importei.

Eu quero o meu caminho mais do que honrar a Deus ou Zack.

Agradecida, pela glória de Deus, eu reconheci meu coração independente e insensato e voltei bem rápido. Zack e eu estávamos dispostos a trabalhar no nosso conflito como dois adultos maduros, adultos cristãos. E nós fizemos. Aleluia!

Independência.

É algo que nós, como mulheres, somos encorajadas a abraçar desde mais novas. Nossa cultura encoraja a independência como uma das maiores realizações para a vida de nós mulheres. E eu não estou apenas falando sobre um tipo de independência que te permite ir em lojas sozinha (que é um nível saudável de independência).

Estou falando sobre um tipo muito mais perigoso de independência.

Em nosso livro, Girl Defined: God's Radical Design for Beauty, Femininity, and Identity , nós escrevemos sobre a independência:

“Mesmo que você esteja casada ou solteira, nossa cultura está te pressionando a atingir um nível não saudável de independência. Você é encorajada a se separar dos seus pais, da sua família, do seu marido, e dos seus filhos. Você é encorajada a possuir o que quiser, quando quiser. 'Coloque todos de lado porque você vem primeiro’” - Girl Defined Book (capítulo 03).

Em Girl Defined, nós identificamos, “3 Pillars of Counterfeit Femininity - Pilares da Contrafacção Feminina (tradução livre),” e Independência é um dos pilares. Nossa cultura está pressionando e encorajando as mulheres a abraçarem uma mentalidade e atitude que são totalmente contrárias ao melhor de Deus pra nós, e a independência total é uma dessas mentiras.

Mas então eu pensei que era saudável para as mulheres serem totalmente independentes?,” alguém me perguntou recentemente em resposta a essa seção do livro.

Ser uma mulher independente pode ser uma boa coisa – se usada no contexto correto da situação. No entanto, ser uma mulher independente pode também devastar coisas quando usadas em caminhos errados.

E infelizmente, nossa cultura está nos empurrando para sermos independentes em muitos desses caminhos errados.

A mentalidade para mulheres independentes que são encorajadas na nossa cultura moderna soa parecido com isso:
  • Eu não preciso de ajuda… Posso fazer sozinha.
  • Quem precisa de um homem? Eu faço isso.
  • Eu não quero ter que depender sempre de alguém além de mim mesma.
  • Eu gosto de fazer minhas próprias decisões e nunca precisar de outras.
  • Essa é a minha vida, eu posso fazer dela o que eu quiser.
  • Ninguém me manda fazer nada.
  • Eu sou minha maior autoridade.
  • Etc, etc, etc, etc…
Nossa. Sim – algumas dessas declarações estavam na minha cabeça quando estava discutindo com Zack naquele dia.

Quantos dessas declarações você tem dito (ou até pensado)? Talvez você está sentindo algum nesse momento.

Quando nós, mulheres, abraçamos esta mentalidade extrema de independência, nós inconscientemente colocamos todos de lado (incluindo os homens da nossa vida), e lançamos nossos desejos para o topo da lista. Nós até começamos a perder os sinais da autoridade de Deus, e começamos a pensar que somos "as chefes".

Nós perdemos o respeito por falta de sabedoria. Nós competimos contra os outros em vez de servi-los. Nos tornamos fechadas às opiniões dos outros. Nós desrespeitamos os homens da nossa vida (o pai e/ou o marido). Nos tornamos extremamente focadas em nós. Ignoramos os chamados de Deus para nossa vida.

Independentemente do que nossa cultura está enaltecendo nas mulheres modernas, estou aqui para dizer que ser independente não é sempre bom.

Filipenses 2:4/Philippians 2:4 é apenas um exemplo do porquê as atitudes não ajudam: “Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros.”

Como mulheres cristãs, somos chamadas para ser como Cristo. E Cristo veio para servir, não para ser servido (Mateus 20:28 / Matthew 20:28). Independência extrema sempre promove o orgulho, enquanto a abnegação produz humildade.

Em vez de saltar a bordo com a atual independência, eu oro para que você guarde com cuidado sua vida contra este pensamento e atitude perigosos. Nós precisamos dos outros e de Deus. Não fomos criadas para uma independência total, mas para uma dependência saudável e para o amor para com os outros.

Para saber mais sobre esse tema, você pode ter uma cópia de Girl Defined e checar o capítulo 03.

Vamos conversar:
  1. Como você tem experimentado a “push pela independência” na sua vida?
  2. Em quais caminhos você tem visto um nível não saudável de independência em suas atitudes?
"Hey! Espero que tenha gostado, pelo menos um pouco, desse texto. O achei bem interessante e necessário também. Ele é diferente sim, e talvez sou até um pouco corajosa em colocá-lo dessa maneira na internet quando algumas pessoas têm o discurso um pouco contrário ao que está aqui. 
Nos vemos na próxima! E me diz o que achou também, estou bem curiosa.
Um texto complementar (em inglês): Let the Bible Tell You How to Be a Woman
Küsse, "
~~~~~~~*~~~~~~~
Créditos: © 2016 Girl Defined. Original: Why Being an Independent Woman Isn't Always Good by Kristen Clark - Publicado em 04 de Julho de 2016. Tradução: Divana Barbosa © 2016 Nafthaly. Todos os direitos reservados.
Você pode reproduzir este material em qualquer formato desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

*Essa postagem tem link afiliado
Imagem: pixabay.com

segunda-feira, 11 de julho de 2016

O seu jeito de andar - o filme

julho 11, 2016
O seu jeito de andar - o filme
Copyright: Imagem / Divulgação: AMCTV
Sabe quando você ama um filme e quer falar muito sobre ele? Então, assisti O seu jeito de andar recentemente e estrou transbordando amor por ele. Transbordando mesmo!

A imagem que abre a postagem pode dizer muita coisa do motivo de eu ter gostado tanto desse filme. Ele não tem aquelas intrigas amorosas, da mocinha e do vilão. 

O que o filme me passou foi um amor puro.

Aquele amor que cresce de algum lugar misterioso que foi esquecido por muitas pessoas. E os personagens que fazem parte desse romance não são perfeitos, estão longe disso, cada um tem os seus problemas ali, mas mesmo assim existe o AMOR.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

E então: Redes Sociais

julho 07, 2016
E então: Redes Sociais

Estava ficando biruta,  biruta de tudo mesmo. E acho que é por isso, senão um dos motivos, que descobri que sou desorganizada-fixionada-perfeccionista demais com muitas coisas.

Não estava conseguindo me dar com tantas informações vindo e indo. Sabe aquele desenho animado do olho que vira uma espiral e fica assim por um bom tempo? Imagine a minha pessoa dessa maneira. Pois é.

E é verdade. Já sou meio lelé... Daí isso acontece e as coisas pioram. Meu momento de enlouquecer. E começar a ficar estranha, então não estranhe...

Então resolvi fazer uma coisinha. Tirei o Facebook do celular, especificamente. Escolhi ele. Entro nele apenas uma vez por dia e olhe lá. O Wi-Fi/3G do celular fica ligado por pouco tempo, e por volta de 4, 5 vezes no dia. A rede social que mais acompanho é o Twitter <3. Fora o Instagram que serve pra inspirar quando fico estática pensando em 'nada'.

Desse jeito fiquei muito mais tranquila.

Então, nessa vibe, eu e meus amigos estamos meio que enchendo o saco um do outro quando estamos na mesa da lanchonete mas com o celular na mão. É mais ou menos assim: quem pegar o celular do meio da mesa vai pagar a conta. 

E isso está funcionando meus caros. E não preciso dizer que é muito amor tudo isso.

Estamos ficando com saudades de conversar com as pessoas que estão do lado, sem ser via mensagens eletrônicas. Usar pra falar quando está longe e nas horas certas fazem tanta, mas tanta diferença. Sei lá, a vida fica mais leve e com mais tempo pra fazer tudo aquilo que quis mas que nunca deu porque o tempo estava curto demais.

Só que é a gente que organiza tudo. E as prioridades sempre vem primeiro. E com ela, com certeza, a saúde, principalmente quando envolve pessoas. As pessoas que são muito importantes na sua vida.

Não sei você, mas eu sinto uma saudade tremenda de gente por perto, conversando, rindo. Tudo fica mais real e a magia acontece dessa maneira. Até porque os verdadeiros sentimentos podem ser observados ali, com todos por perto. Olho no olho, não texto por texto.

Eu amo meus amigos... E acho que me amam também.

Se você, amigo, ler, saiba que eu te amo <3.

Para quase terminar, vou colocar um trecho aqui de um texto que foi ao ar no Voltemos ao Evangelho que fala sobre as amizades virtuais e em como elas podem ser perigosas.
Além disso, o seu verdadeiro ser foi feito para relacionamentos de mão dupla em tempo real. Fomos feitos não apenas para conhecer outros, mas também para sermos conhecidos por outros. A verdade é que você não pode conhecer verdadeiramente uma pessoa ou ser conhecido através do inevitável firewall das redes sociais.
Sei que não é novidade o que está escrito aqui em cima, mas é bom a gente sempre tomar um pouco de cuidado, não é?

Küsse,
Imagem: pixabay.com

segunda-feira, 4 de julho de 2016

As mulheres na literatura

julho 04, 2016
As mulheres na literatura

Existem muitos projetos interessantes na internet, não tem como negar. E a busca pelo destaque do taleto das mulheres do mundo não está fora deles, pelo contrário, está bem dentro.

Não vim falar sobre o feminismo, mas pela oportunidade de buscarmos a leitura de livros escritos por escritoras, mulheres guerreiras que gostam muito de escrever. Não é novidade que por muito tempo a mulher não tinha uma participação tão notória como vemos hoje ~Oi J.K. Rowling! <3~ , mas sabemos também que pode ser muito maior essa participação.

E isso pode começar, é claro, com a oportunidade de novas leituras, por pessoas que se dispõem a ler o que elas escrevem, ou seja, nós.

Vi esse projeto no blog da Bruna Vieira, o Depois dos Quinze, muito conhecido, e a própria Bruna já publicou alguns livros. Então, vamos entrar nessa comigo?

Eu tenho alguns muitos livros por ler na estante. Eles só estão aguardando a oportunidade e a minha disposição após semestre. Aguardando minhas férias com muita ansiedade!

Curtam o projeto, o abracem, e vamos procurar novos horizontes! Ah, mas só não vale viajar demais hein.

Küsse,
Imagem: pixabay.com